Fornecendo ferramentas para um mundo livre de herbicidas
Eletrônica de potência avançada para o controle de ervas daninhas
Electroherb™: a alternativa não química de proteção de culturas
Eletrônica de potência avançada para o controle de ervas daninhas
Fornecendo ferramentas para um mundo livre de herbicidas
Eletrônica de potência avançada para o controle de ervas daninhas
Capina Elétrica para Pomares e Frutas
Em favor de uma agricultura livre de herbicidas.
Anterior
Próximo

Grupo Zasso conquista certificação internacional

O Grupo Zasso conquista mais uma certificação, trata-se do certificado de compatibilidade internacional Agricultural Industry Electronics Foundation (AEF) ao sistema wireless de controle e monitoramento de módulos de energia de terceira geração da marca Kratos. Este sistema de baixo custo e totalmente sem fios compõe as plataformas de capina elétrica da Zasso (Dionysus, Thor, Tupa e Zeus). A conquista é atribuída por uma organização independente fundada por oito fabricantes internacionais de equipamentos agrícolas e três associações, juntamente com outros 200 membros.

Leia mais sobre essa conquista em nossa Latest News.

Compartilhe este conteúdo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Sucesso nas operações de capina elétrica no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre

Sucesso nas operações de Capina Elétrica no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre

A tecnologia utiliza descargas elétricas controladas, para matar as ervas daninhas diretamente na raiz

Na última semana, a tecnologia da Capina Elétrica, do Grupo Zasso, pousou no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, por intermédio de nossos representantes e operadores. 

A empresa Mar Brasil, representante ZASSO, em parceria com a empresa operadora GS Ambiental, estiveram em Porto Alegre, levando a tecnologia da capina elétrica ao Aeroporto Salgado Filho. Lá, foram feitos alguns testes antes de começar de fato a aplicação, para entender qual estratégia seria utilizada. 

Foram levantados os aplicadores cerca de 10 cm do chão, evitando assim o contato com a grama, e atingindo somente as ervas daninhas. 

O processo foi o tempo todo supervisionado pelo Sr. Rene, que é Coordenador de Manutenção e pelo Engenheiro Felipe, que é Assistente de Coordenação.

Como o nosso Aeroporto (Salgado Filho), tem essa preocupação com o meio ambiente, manter a manutenção e visando a qualidade para os nossos passageiros, nós optamos por contratar a Capina Elétrica. Nós estamos muito satisfeitos com o que vimos aqui (resultados), destaca Felipe. 

A Capina Elétrica – Urbana e Rodoviária da Zasso, é totalmente livre de herbicidas, ambientalmente sustentável e socialmente responsável. Além de ser até 20x mais rápido e 10X mais econômica que outros métodos de capina.  

Consulte nossos operadores espalhados pela América Latina e solicite uma demonstração. 

Compartilhe este conteúdo!

Tecnologia brasileira é testada nos EUA

Equipamentos são utilizados pela Universidade de Oregon, para testes de controle de ervas daninhas 

Pesquisador da Universidade de Oregon, em parceria com produtores locais de avelãs e mirtilos, estão testando a capina elétrica, tecnologia brasileira desenvolvida pelo Grupo Zasso, para controlar as ervas daninhas invasivas no meio ambiente.

Essa é uma tecnologia ainda pouco conhecida lá fora, mas que vem ganhando espaço. Agora também, nos Estados Unidos.

“Além de ser moderna e segura, nossa tecnologia é ecologicamente correta. Seguindo uma tendência mundial do agronegócio, métodos cada vez mais eficazes e com menor impacto ambiental devem ser implantados em fazendas de todo o mundo”, destaca o co-CEO da marca, Sérgio Coutinho.

Marcelo Moretti, pesquisador e professor de horticultura da Universidade de Oregon, foi quem iniciou os testes no mês passado, como parte de um projeto de três anos para avaliar a eficácia do controle elétrico de ervas daninhas.

“Suspeito que os produtores irão adotar isso como uma ferramenta adicional para o controle de ervas daninhas, especialmente para aquelas resistentes a herbicidas”, disse Moretti.

Para Moretti, é importante encontrar mais ferramentas não químicas para controlar ervas daninhas resistentes a herbicidas. As ervas daninhas tendem a ficar mais resistentes com tantos produtos químicos sendo aplicadas nelas, anos após anos. É como tomar antibiótico, se você tomar muitas vezes, cada vez você vai precisar aumentar a dose, e, nessa altura está o perigo, se tratando de herbicidas. Quando um campo de ervas daninhas é pulverizado ano após ano com um único herbicida, as plantas mais fracas morrem, mas algumas plantas naturalmente mais fortes sobrevivem, se reproduzem e passam seus traços resistentes para as próximas gerações.

Os testes começaram em dois pomares de avelãs, onde o azevém italiano resistente a herbicidas é um problema grave. Moretti também trabalhará com um cultivador de mirtilo para testar a eficácia do controle elétrico em ervas daninhas perenes, como a trepadeira, um membro da família ipomeia.

O equipamento utilizado é o modelo EH30 Thor. O sistema do Grupo Zasso gera uma corrente de alta tensão que é aplicada à planta por meio do contato com uma barra metálica. Conforme a alta voltagem passa pela planta em direção às raízes, a resistência elétrica gera calor, levando à ruptura da membrana celular e à morte da planta.

O professor acredita que a tecnologia será amplamente aplicável em árvores frutíferas e nozes, lúpulo, vinhas e outras culturas. Podem ser utilizados diversos tamanhos de unidades equipadas com tecnologia, como o modelo Electroherb, que manobra facilmente em colinas e em filas estreitas.

Durante os testes, a equipe de Moretti testará a eficácia do método em diversos tipos, densidades e idades de ervas daninhas, vários categorias de solo, em vários climas e com diferentes estresses.

Leia mais sobre este assunto acessando a matéria da Capital Press, Americana.

Compartilhe este conteúdo!

Aplicação de Capina Elétrica na cidade de Treze Tílias/SC foi um sucesso

Sucesso no tratamento de Capina Elétrica na cidade de Treze Tílias/SC

Resultados aparentes já no segundo dia de aplicação!

Por intermédio da empresa Mar Brasil, operador master ZASSO, esteve presente na cidade de Treze Tílias, em Santa Catarina, em operação da capina elétrica urbana. 

Foram feitos 6 km por dia, sendo o contrato de 30 km linear. Na ocasião o prefeito da cidade, Rudi Ohlweiler, acompanhou todo o processo de aplicação da capina elétrica, e já sinalizou que pretende retornar com a prestação de serviço no mês de agosto e setembro. 

A eficiência da capina elétrica se mostra comprovada, já que o rendimento dela é de até 7 km por dia, gerando uma economia de até 50% que a capina tradicional.

Nós buscamos essa iniciativa, de trazer algo novo para a nossa cidade, que é a capina elétrica. Onde não agride o meio ambiente, a durabilidade dessa limpeza é muito maior do que a capina convencional. É um trabalho onde você nota a diferença de um dia pro outroRecomendo 100% a Capina Elétrica, para quem quer resultados, para quem quer trabalhar de acordo com o meio ambiente e ter uma empresa séria ao seu lado. Por isso que eu recomendo a capina elétrica. Silvio Zang – Chefe de gabinete da cidade de Treze Tílias

A Zasso criou a capina elétrica, uma tecnologia exclusiva, que controla ervas daninhas através de descargas elétricas controladas, de alta tensão, eliminando a praga direto na raiz! 

Anterior
Próximo

Compartilhe este conteúdo!

Parceria entre a Zasso, EMBRAPII e SENAI para projeto de pesquisa se inicia no mês de março

Parceria entre a Zasso, EMBRAPII e SENAI para projeto de pesquisa se inicia no mês de março

O Grupo Zasso em parceria com o Instituto SENAI de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica,deram início neste mês a um projeto de pesquisa em visão computacional embarcada. Esse é um avanço tecnológico muito inovador e importante. 

O intuito é aumentar a eficiência de processos na agricultura, por meio de redução de potência e do aumento da precisão na capina elétrica. 

Segundo Guilherme Rinzler, Gerente de Fomentos e Patentes do Grupo Zasso, “o SENAI veio para somar – com ele, teremos mais braços para desenvolvimento e pessoas qualificadas aliadas ao nosso P&D”, e complementa,” e a EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), é uma empresa que fomenta inovação em todo o Brasil”. 

O Instituto SENAI de Inovação, foi criada para ser uma ponte entre o meio acadêmico e as necessidades do empresariado nacional. Seu foco de atuação é a pesquisa aplicada, o emprego do conhecimento de forma prática, no desenvolvimento de novos produtos e soluções customizadas para as empresas ou de ideias que geram oportunidades de negócios. 

Já a EMBRAPII é uma organização que apoia instituições de pesquisas tecnologias, e fomentam a inovação da indústria brasileira. 

Com tanta parceria, força e inovação, a agricultura está prestes a dar um grande salto em termos tecnológicos. 

Compartilhe este conteúdo!

Resultados comprovados – Capina Elétrica em rodovias

Em meados de janeiro, foi realizada uma demonstração de Capina Elétrica, na cidade de Ourinhos/Sp, para a Concessionária Auto Raposo Tavares (CART).  Após a aplicação, foi feito um minucioso acompanhamento de resultados, por um período de um mês. Abaixo você confere os resultados:   

Nas imagens acima, é possível ver o resultado de coloração no mato, uma faixa mais escura, já no primeiro dia, logo após a aplicação. 

Nos dias seguintes os matos já estão mortos, em sua grande maioria, e a coloração amarelada é evidente. Por fim, 30 dias depois, as ervas daninhas eliminadas, já feita a roçada e a limpeza do local. 

A manutenção nesse tipo de cenário se faz muito importante, já que as ervas daninhas costumam crescer em acostamentos e sarjetas, e resultam em uma grande dificuldade para o escoamento de água da chuva, podendo ocasionar a derrapagem do carro, por conta da aquaplanagem, além de outros agravos.  

A Capina Elétrica – Urbana e Rodoviária da Zasso, é totalmente livre de herbicidas, ambientalmente sustentável e socialmente responsável. Além de ser até 20x mais rápido e 10X mais econômica que outros métodos de capina. 

Consulte nossos operadores espalhados pela América Latina e solicite uma demonstração. 

Compartilhe este conteúdo!

Qual o futuro da soja no Brasil?

Zasso

Qual o futuro da soja no Brasil?

Por Sergio de Andrade Coutinho Filho*

Por um lado, a soja é uma cultura de extrema relevância para a economia, para a segurança alimentar mundial e, sim, para o meio ambiente. Por outro, essa cultura apresenta custos econômicos, sociais e ambientais. Entretanto, com avanços tecnológicos os benefícios se ampliarão enquanto os custos serão controlados.

A magnitude do impacto econômico é inquestionável. O Brasil é o segundo maior produtor de soja do mundo, representando o maior faturamento da agricultura brasileira de R$ 175 bilhões em 2020 e empregando mais de 30 milhões de brasileiros segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Ela representa insumo básico para a indústria alimentícia, sendo matéria prima para a produção de óleos e rações, além de ser o maior item de exportação do Brasil, acima de itens como Petróleo e Minério de Ferro.

É possível argumentar que, contra intuitivamente, a soja contribui não só para a segurança alimentar, mas para o meio ambiente. Por ter alta densidade calórica (produzir muitas calorias por hectare), ela permite plantar menos e alimentar mais. Possibilita também, inclusive, maior eficiência na produção de proteínas animais, ao reduzir a necessidade de pastagens e de outros cultivares menos produtivos. Desta maneira, indiretamente, contribui para conter a pressão global por desmatamento e promove o combate à fome.

Todavia, mais de 95% da soja plantada no Brasil é transgênica, e mais de 80% das transgenias são relativas total ou parcialmente à resistência a herbicidas, em especial o glifosato, de acordo com a CropLife Brasil (CLB), associação que reúne especialistas, instituições e empresas. Apesar de não existir evidências de que a transgenia em si apresente riscos significativos, o uso deste herbicida, considerado sine-qua-non (extremamente importante) para o manejo da cultura, está ligado a danos significativos à saúde e ao meio ambiente. Estes danos foram tema de processos bilionários contra indústrias químicas nos Estados Unidos e da proibição do seu uso em vários países europeus e asiáticos.

Avanços tecnológicos como a capina elétrica, permitem o controle de plantas invasoras que competem com o cultivar por nutrientes, sol e água, sem o uso de qualquer herbicida químico, além de atuar com eficácia em plantas resistentes à herbicidas e permitir certificação orgânica. Essa tecnologia cresceu até 100% ao ano na última década, já é distribuída por grandes players do mercado de máquinas agrícolas e o teve seu custo por hectare reduzido ano a ano, se tornando cada vez mais economicamente competitiva com os métodos convencionais.

Em breve, veremos essa (e outras) tecnologia promovendo uma soja ainda mais economicamente viável, de maneira socialmente responsável e ambientalmente sustentável. Ainda mais benefícios e menores custos, ao agricultor, à economia, ao meio ambiente e aos consumidores.

*CEO da Zasso Group

Compartilhe nas redes sociais

Demonstração de Capina Elétrica, no litoral sul paulista, para prefeituras locais

Zasso brasil

Demonstração de Capina Elétrica no litoral sul paulista, para prefeituras locais

O Grupo Zasso possui representantes e operadores no mundo inteiro, e no caso da Praia Grande não é diferente. O nosso representante da empresa Mar Brasil, solicitou uma demonstração da  Capina Elétrica, para representantes da prefeitura.
Neste cenário onde foi realizado a aplicação, as ervas daninhas costumam ter grande facilidade para crescerem e se propagar, pois, trata-se de uma região abaixo de serra, onde há muita vegetação e umidade.

A Mar Brasil reuniu diretores e secretários da prefeitura, interessados em ver de perto, como nossa tecnologia age diretamente na raiz.

O resultado da aplicação foi excelente! Agora, confira abaixo os resultados 5 dias depois. 

Conheça nosso time de operadores que prestam serviço da capina elétrica, e adquira essa tecnologia para controlar os matos indesejados das cidades. 

Demonstração da Capina Elétrica em Rodovias, em Ourinhos/SP, para o CART

Demonstração de Capina Elétrica em Rodovias, em Ourinhos/SP

Recentemente, foi realizada uma demonstração da Capina Elétrica em Rodovias, em Ourinhos/SP, para a Concessionária Auto Raposo Tavares (CART).     

Responsáveis por movimentar grande parte de economia brasileira, as rodovias exigem grande atenção dos motoristas, de modo a evitar acidentes, pelo constante fluxo de veículos. Parte desses acidentes, se deve a má condição da infraestrutura, e as ervas daninhas podem também ser responsável por essas adversidades.   

Nesse cenário, as ervas daninhas costumam crescer em acostamentos e sarjetas, resultando em uma grande dificuldade para o escoamento de água da chuva, podendo resultar na derrapagem do carro, por conta da aquaplanagem, além de outros agravos.     

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 903 acidentes em rodovias federais entre os dias 30 de dezembro e 3 de janeiro, segundo o site, Agência Brasil.   

A Capina Elétrica – Urbana e Rodoviária da Zasso, é totalmente livre de herbicidas, ambientalmente sustentável e socialmente responsável. Além de ser até 20x mais rápido e 10X mais econômica que outros métodos de capina.

Consulte nossos operadores espalhados pela América Latina e solicite uma demonstração.

Compartilhe este conteúdo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Área do Operador e Representante

Esta é uma área restrita para os parceiros da Zasso. Para saber mais, entre em contato.